Um exemplo de leitura inspecional

Continuando a série
sobre Como Ler Livros, vou agora demonstrar como eu faço a leitura inspecional do livro. Como dito no último post (de leitura obrigatória para este), estou usando como exemplo A Árvore do Dinheiro (Elsevier, 2010), do Prof. Jurandir Sell Macedo Jr., que estou re-lendo com o objetivo expresso de melhorar a minha compreensão sobre diferentes atitudes financeiras a se tomar para diferentes horizontes de tempo. Eu já anoto todos os meus gastos, aprendi a controlar as receitas e despesas, e já estou investindo em ações, pensando no longo prazo. Minha pergunta é: como investir inteligentemente para o médio prazo, de 3 a 5 anos, quando os investimentos em ações têm um risco enorme de resultarem em prejuízo (ou serem consumidos pelo imposto de renda).

Seguindo as técnicas de HTRAB, antes de se ler um livro em atenção, é importante ter uma visão geral da obra, e é esse o objetivo da leitura inspecional. Como dizem os autores (tradução livre minha):

O tremendo prazer que pode vir de ler Shakespeare, por exemplo, foi arruinado para gerações de estudantes de ensino médio forçados a trabalharem em cima de “Júlio César”, “Como Gostais”, ou “Hamlet”, cena por cena, procurando todas as palavras estranhas em um glossário e estudando todas as notas de rodapé acadêmicas.

Isso foi uma revelação para mim. Quantos livros abandonei na décima página por já ter perdido a noção do assunto sobre o qual estou lendo? Pensando bem, a ideia da leitura inspecional é natural. Se eu tenho um livro na minha mão, e quero aprender algo sobre ele, a probabilidade de que eu esteja num nível muito abaixo de compreensão em relação ao autor do livro é grande. Seria irrealista da minha parte achar que com apenas uma leitura muito atencionsa eu conseguirei entender tudo e me tornar um especialista no assunto.

O primeiro nível de leitura é o elementar, onde enxergamos, letras, palavras e frases que formam um significado. Subindo de nível, temos agora seções, capítulos, o livro como um todo — ou seja, a estrutura de um livro, e é exatamente isso que precisamos identificar. Ainda não atingimos o nível das ideias e do assunto em si, mas já podemos visualizar o livro como uma entidade.

Algoritmo básico da leitura inspecional

Adler e van Doren propõem uma sequência de passos a serem tomados:

  1. Leia o título
  2. Estude o sumário
  3. Estude o índice
  4. Procure os capítulos que parecem importantes para os argumentos do autor
  5. “Passeie” por esses capítulos, parando para ler alguns parágrados — mas não mais do que isso

É importante ressaltar, nessa fase, a necessidade de possuir um livro e tomar notas. É por isso que eu adoro livros digitais, por ser tão fácil marcar trechos e tomar notas (no caso do Kindle, é possível ainda facilmente exportar as notas como um arquivo de texto). Para livros físicos, eu gosto de usar post-its grandes, que depois eu posso destacar e organizar, antes de escrever notas e textos como esse que vocês estão lendo.

Mas sobre o quê exatamente você precisa tomar notas?

Perguntas básicas da leitura inspecional

As três perguntas básicas a serem respondidas na leitura inspecional são:

  1. De que tipo é o livro?
  2. Sobre o que é o livro como um todo?
  3. Como o autor estrutura o seu argumento e a sua compreensão do assunto?

Classificação dos livros

À medida que você vá realizando esses passos, procure identificar de que tipo é esse livro. Segundo HTRAB, o primeiro nível de classificação é se o livro é:

  • Ficcional, isto é, conta algo que não aconteceu?
  • Expositivo, ou seja, apresenta algo que existe no mundo real?

Ler um livro de ficção exige uma mentalidade bastante diferente em relação a outros livros (como já argumentei aqui
), devido ao uso de metáforas e outros artifícios. Por isso, vamos nos concentrar nos livros de não-ficção. Eles podem ser:

  • Teóricos
  • Práticos

Livros práticos são manuais. Geralmente contém títulos como A Arte de…, Como … e estão cheio de expressões como você deve, para conseguir isso, faça aquilo, etc. Livros teóricos contam o quê e livros práticos se concentram no como.

Independente do livro (expositivo) ser teórico ou prático, ele ainda pode, na classificação de HTRAB, abarcar três grandes assuntos:

  • História: uma narrativa de fatos que aconteceram em algum momento passado
  • Ciência: um relato de coisas que acontecem, sem tempo definido. Geralmente livros científicos se baseiam em observações da natureza ou em raciocício abstrato bem articulado
  • Filosofia: como ciência, mas lidando com assuntos mais próximos da experiência cotidiana do ser humano.

Expressando o todo e as partes de um livro

Muito bem. Eu sentei com o meu exemplar de A Árvore do Dinheiro, peguei post-its, e dei uma lida superficial mas sistemática. Estudei o sumário, o prefácio e li algumas páginas. Marquei algumas passagens como imporantes, e o tempo todo pensava em como eu poderia melhor expressar o conteúdo do livro (o processo todo levou aproximadamente uma hora). Aqui está a minha melhor tentativa:

Este é um livro prático de finanças pessoais (relacionadas às ciências economômicas e à psicologia, sendo um livro científico portanto). O autor usa elementos da teoria financeira e comportamental para traçar um plano, cuja meta é construir um patrimônio que gere rendimentos capazes de realizar os objetivos do leitor. Os capítulos seguem a ordem proposta do plano: primeiramente é discutido como traçar objetivos coerentes com o nosso estilo de vida; em seguida é levantada a questão do orçamento pessoal e de como fazer sobrar dinheiro para que este seja investido. Uma breve explicação sobre risco, investimentos e capital segue, e o livro termina abordando três grandes grupos de investimentos: fundos, renda fixa e renda variável, a serem adotados pelo leitor conforme seus objetivos.

Observe que com um parágrafo eu consegui ter uma visão macro do livro, mesmo que eu ainda não tenha entendido os detalhes do plano que o autor defende.

Conclusões e próximos passos

Da próxima vez que o leitor for um livro e quiser lê-lo com toda a atenção, experimente fazê-lo em dois estágios, fazendo uma leitura inspecional primeiro. Antes de ler com a total energia, tenha uma noção geral do que é o livro, com o objetivo de melhor adotar estratégias.

Por exemplo, tendo relembrado a estrutura de A Árvore do Dinheiro, e tendo o meu objetivo em vista, eu sei que eu preciso dedicar especial atenção aos capítulos onde são discutidos “como definir objetivos financeiros” e sobre renda fixa, que eu já identifiquei (através da lida rápida mas atenciosa em alguns capítulos) como sendo a peça chave em objetivos de médio prazo.

O próximo passo é a leitura analítica, tema dos próximos posts.

Advertisements

2 thoughts on “Um exemplo de leitura inspecional

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s