FabioFortkamp.com 2.0

Bem-vindos à segunda iteração de FabioFortkamp.com!

O blog está completamente reformulado, tanto interna quando visualmente.
Esta mudança vai ser melhor tanto para mim quanto para os leitores.

Por que mudar?

O blog estava hospedado na plataforma Squarespace, que é descrita
como uma maneira fácil e rápida de construir sites bonitos – o que é
verdade. Você entra, paga uma taxa mensal, escolhe um template (e todos
são muito bonitos), e usa as interfaces para configurar o visual.

Qual o problema então? Falta de controle e de flexibilidade. O
Squarespace permite você mudar rapidamente a cor e a fonte dos textos,
adicionar páginas e posts, inserir imagens e vídeos. Porém, mudar a
estrutura interna é mais complicado.

Por exemplo, eu não conseguia mudar o idioma, convertar o “share” para
“compartilhar”. Da mesma forma, não conseguia mudar o formato da data
(que também estava em inglês). A mensagem do número de comentários era
impressa numa fonte muito maior – e eu não conseguia mudar. São pequenos
detalhes, mas que começam a me irritar.

Outro problema era na hora de publicar os textos. O Squarespace não tem
nenhuma API, nada que permita a algum serviço ou app se conectar a ele.
Então eu tinha que escrever o texto no meu computador, entrar no site,
logar, clicar no botão de “Add Post“, copiar o texto, escrever o
título, configurar o compartilhamento nas redes sociais. Esse processo
todo estava começando a me tirar a vontade de escrever.

“Por que você não escreve diretamente no site?”. Boa pergunta. Primeiro,
porque assim cada vez que eu quisesse escrever, eu estaria dependente de
internet. E segundo, que o editor online é lento, trava, e tem bugs
inexplicáveis (eu apago uma palavra e a linha inteira some).

Enfim, o Squarespace é bom para alguém que quer um site bonito, em
inglês, e só quer mudar coisas superficiais. Eu faço questão de ter mais
controle.

As alternativas

Eu procurei. Muito. A alternativa padrão é o WordPress, que vêm em duas
versões, uma já pronta, hosted, similar ao Squarespace (por
hosted eu quero dizer que toda a hospedagem é gerenciada pela própria
companhia), e outra para você instalar no seu servidor. Usando a
primeira, eu cheguei à conclusão de que acabaria com as mesmas
reclamações (falta de controle); a praticidade é grande, mas na hora de
mudar demais… Quanto à segunda, eu cheguei a instalar e estudar, mas
logo desisti. O sistema em si é uma bagunça; para mudar um detalhe tive
de mergulhar num mar de arquivos PHP. O WordPress, depois de muito
evoluir, é grande demais.

Procurei por sistemas mais novos (como o Statamic e o Kirby) e
mais tradicionais como o Typepad. Por algum motivo ou outro, ficava
insatisfeito.

Depois de muito filosofar, percebi que eu tinha duas prioridades:

  • um sistema simples de gerenciar
  • um sistema que me dê controle

Essas duas características são geralmente conflitantes e não é fácil
encontrar um balanço. Mas eu acho que consegui.

Powered by Jekyll

FabioFortkamp.com usa o sistema Jekyll. Como funciona? De
maneira muito complicada:

Este blog é uma pasta no meu computador, sincronizada com um servidor.

É isso que eu sempre quis. O Jekyll toma alguns arquivos de entrada,
especificando as características do site e os textos, e gera um conjunto
de arquivos HTML (a linguagem que os browsers usam). Essa pasta final é
então copiada para um servidor.

(Jekyll é o médico de O Médico e o Monstro, e ele suposta
transforma seu texto num monstro).

Qual o truque? É preciso entender de programação, para escrever os
arquivos de entrada e para fazer a transformação. Não existe nenhuma
interface onde você “clica para adicionar uma foto”, como em sistemas
maiores. Mas isso não é problema para mim. Embora eu não educação formal
em ciências da computação, em tive algumas disciplinas na faculdade,
sempre trabalhei com programação em projetos de Iniciação Científica,
trabalhei como programador na Alemanha, e trabalho com programação
todo dia para o meu mestrado. O modo de pensamento de Jekyll, de você
escrever alguns comandos e ele gerar o site, funciona para mim. No fim,
o custo de operar esse site, comparado com os benefícios de simplicidade
e controle, é muito baixo.

Para o leitor também tem um lado positivo. O Squarespace e o WordPress
guardam os textos num banco de dados, e geram páginas dinamicamente; a
cada vez que o leitor visita um post, o sistema pega o texto do banco de
dados e gera a página para visualização. O Jekyll é estático; quando o
leitor visita uma página, ela já está pronta (foi gerada por mim). Em
resumo: o blog tende a ficar muito mais rápido e leve de carregar.

Acima de tudo, é um desafio intelectual interessante manter um site
assim. O Jekyll é um sistema totalmente aberto e é possível entender de
fato como ele funciona. Vou aprender muito.

O tema que estou usando é o Scribble, com algumas mudanças minhas.
Em breve, colocarei minha versão disponível, se alguém quiser se
arriscar.

Mais mudanças

Já foi prometido, mas logo vou adicionar RSS e a opção dos leitores
receberem os posts por email. Também quero adicionar um campo de busca.
Aos poucos, esse site vai sendo construído (e totalmente por mim, o que
é melhor).

E, mais importante, publicar um texto se resumo a abrir um editor de
texto e dar um comando. Não seria surpresa se minha vontade de publicar
aqui aumentar.

Mais uma vez, caro leitor, obrigado por ler FabioFortkamp.com. O
leitor pode me contatar pelo Twitter e por email.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s